Power-BI x R-Shiny

Olá pessoal,
Fui apresentado recentemente ao Power Bi, que com sua interface WYSIWYG aproxima o usuário geral da criação de dashboards.
Ainda não ficou claro a mim para quais propósitos o R Shiny tem desempenho superior. (pouco conheço o Shiny, uso mais RMarkdown).
Tendo a achar que o Power Bi consolidará um nicho restrito ao meio corporativo. Embora a Fundação Seade o esteja usando. Bem como o antigo MTE, para o Novo Caged (talvez por ser mais barato, dispensando orçamento com dev).
Não sei vcs mas eu não faço planos pra aprender power bi, nem desejo ser obrigado.
Como opinam sobre aplicações em que o R Shiny é superior?

É difícil dizer que uma tecnologia é superior a outra, normalmente cada uma tem suas vantagens e desvantagens.
Eu aprendi um pouco de BI um tempo atrás e hoje trabalho com o shiny. Na minha experiência, o BI é mais fácil de começar, porém um pouco mais limitado no primeiro momento pelas opções que você tem. Fazer operações um pouco mais complexas nele também não são simples, acredito que para manipulação seja mais fácil usar o R ou outra linguagem de programação mesmo (inclusive é possível usar o R dentro do BI).
Eu acho que, o BI ganha pela proximidade com o excel e por ter muitos designs de gráficos já “prontos” e razoavelmente bem apresentáveis. Mas ele tem limitações na hora de apresentar, ele não é um software gratuito, você pode usar a versão para visualizar localmente, mas o compartilhamento do seu painel/dashboard é bem limitado e acaba te fazendo comprar a licença, caso vá usar profissionalmente numa empresa.
O shiny te dá controle sobre praticamente tudo, o que é ótimo, pois você pode fazer praticamente qualquer coisa, mas acaba esbarrando numa curva de aprendizado um pouco maior (e se considerarmos uma pessoa que não conhece R, ainda maior), mas também tem suas limitações de entrega, mas que nesse caso podem ser resolvidas com um pouco de trabalho a mais.

3 curtidas

Toda discussão sobre ferramenta X vs ferramenta Y depende de contexto. Por exemplo: a dificuldade para alguém que está começando no Power BI é muito menor do que a mesma dificuldade para alguém que vai começar em Shiny, mas isso pode não fazer diferença dependendo do caso.

De toda forma, acho que duas comparações são importantes nessa discussão específica:

Power BI exigirá a compra de licenças em algum momento, seja para aumentar o número de pessoas acessando uma aplicação ou para destravar mais funcionalidades. Shiny é um software aberto e mais flexível para se ajustar às suas necessidades. Se a sua aplicação for ser usada por um grande número de pessoas é provável que o Shiny seja uma opção mais barata. Dependendo do projeto e da empresa, Shiny é superior nesse sentido.

O Power BI atualmente faz parte do pacote de produtos da Microsoft, que é muito usado no mercado. É natural que muitas empresas adotem Power BI no seu dia-a-dia, até o momento em que esse produto não seja mais rentável e a Microsoft deixe de comercializá-lo OU que outras necessidades não supridas pelo Power BI acabem exigindo outra ferramenta. Por isso acho que o Power BI vai ficar aí por um tempinho e um motivo importante pra usar Power BI será porque já tem muita coisa feita nele, muitas pessoas sabem mexer nisso etc.

1 curtida

Pelo que andei me informando sites usando Shiny Server seriam mais responsivos, além de funcionarem melhor com bases atualizadas em tempo real. Então quanto maior a complexidade/quantidade de informação colocada à interação do usuário, o Power BI não vai compensando (não o “barato sai caro” e sim o “caro ficando mais caro”). Pra mim esse critério de escalabilidade já é suficiente para a decisão de qual tecnologia escolher, afinal a informação só cresce.
Alguém sabe assinalar outra vantagem tecnológica das aplicações Shiny?